Queridos Pais

Inscrições abertas agora! Clique aqui  ×

Jardim Infantil / Infantário “O Pinhão” em SintraChegou a hora do vosso filho ir para o Jardim Infantil / Infantário e é importante que esta primeira experiência escolar o marque de uma maneira positiva, e que fique como uma recordação agradável para o resto da vida.

Por isso mesmo, consideramos ser indispensável proporcionar-lhe um ambiente calmo, seguro e estimulante, que dê resposta às suas necessidades específlcas e que permita o seu desenvolvimento a todos os níveis: intellectual, afectivo e social.

Queremos ensinar a criança a viver, a gozar, a disfrutar da vida, a triunfar na arte de viver, que equivale a ajudá-la a realizar plenamente a sua vocação humana.

Partindo do que a criança sabe, sente, vive e gosta de fazer, vamos fomentar o seu espírito investigador e de pesquisa. Aproveitando a sua curiosidade e o prazer de descobrir coisas novas, vamos promover a sua iniciativa, propondo, facilitando e justificando as suas descobertas, dando-lhe cada vez mais autonomia, sem deixar de marcar certas regras.

Para que isto aconteça é indispensável que os pais e educadoras, em conjunto, troquem ideias, esclareçam dúvidas e estabeleçam estratégias que venham a favorecer o bom desenvolvimento da criança.

O Pinhão tem assim a porta aberta a todos os pais. Gostaríamos que participassem ativamente na vida do colégio, nos passeios, nas atividades, etc.

Também são indispensáveis todas as sugestões e críticas que tenham a fazer.

Muito obrigado.

Consideramos ser da maior importância:

        • Não rotular a criança, rotular o acto.
        • Ter sempre tempo para a criança como indivíduo.
        • Ensinar pela via do sucesso e não pela via do falhanço.
        • Proteger o estatuto da criança em frente das outras crianças.
        • Dar à criança o direito de propriedade.
        • Deixar a criança correr riscos: há sempre oportunidade para a criança mudar da forma que ela quer.
        • Garantir que todas as crianças possam aproveitar a vida.
        • Valorizar a criança pelo que ela é e procurar ter cuidado na forma como se dirige a ela.